Site em construção
Imagem

Instituto Kobra: a Arte como Instrumento de Transformação Social

Nasce em 2021 o Instituto Kobra, uma entidade que acredita na arte como instrumento de transformação social de adolescentes e jovens em estado de vulnerabilidade no Brasil. Fundada e presidida pelo artista Eduardo Kobra, a instituição parte da própria biografia de seu criador para fundamentar a importância e o papel da cultura como agente transformador de vidas e realidades.

O Instituto Kobra deverá promover ações, prioritariamente em comunidades periféricas, levando manifestações artísticas — não só das artes plásticas e do grafite, mas também da música, do teatro e da literatura — àqueles que costumam ter menos acesso a museus e centros culturais.

Uma experiência embrionária foi o projeto Galeria Circular, realizado em 2019. Transformado em galeria itinerante de arte, um ônibus adaptado percorreu 12 bairros da região metropolitana de São Paulo apresentando 14 obras de Kobra que estiveram ou ainda estão expostas em diversos locais pelo mundo. O próprio artista participou do projeto e interagiu com o público.

O Instituto Kobra também irá funcionar como um espaço para promoção de causas por meio da arte — principalmente aquelas que fazem parte dos princípios do artista Eduardo Kobra, ou seja, a defesa do meio ambiente, o discurso pacifista, a pauta antirracista, o respeito entre os povos e a luta pela liberdade.

Neste sentido, e considerando o momento sensível atravessado pelo País no combate à pandemia de covid-19, a primeira ação concreta da instituição deve ser um leilão visando a auxiliar na compra de cilindros hospitalares para hospitais da região norte do Brasil.

Eduardo Kobra transformou um cilindro inutilizado em uma obra de arte, alertando para o problema sanitário e, ao mesmo tempo, aludindo também à questão ambiental da Amazônia — simbolicamente chamada de “pulmão do mundo”. A peça será leiloada e 100% do valor arrecadado será revertido para os hospitais afetados pela crise de saúde.

Mas o Instituto Kobra não deve se resumir a ações desse tipo. No projeto estão previstas outras maneiras de promover a cultura, com palestras e oficinas e realização de pinturas públicas em comunidades mais vulneráveis.

Além do próprio Eduardo Kobra, a instituição deve viabilizar a presença de outros muralistas e grafiteiros, brasileiros e estrangeiros, que, por meio de intercâmbios culturais, irão levar sua arte, seu conhecimento e suas histórias de vida a esses jovens de periferia.

A sensibilidade do muralista para o tema vem literalmente do berço. Hoje um dos mais conhecidos artistas brasileiros de todo o planeta, com obras em cinco continentes, Eduardo Kobra nasceu, em 1975, no Jardim Martinica, bairro pobre da zona sul paulistana. Da mesma maneira como a arte mudou sua vida, ele acredita que a cultura em geral pode ser uma ferramenta de transformação social para muitos jovens brasileiros.

Para viabilizar esses projetos, o Instituto Kobra está aberto a firmar parcerias com empresas e outras entidades que queiram promover ações culturais junto a adolescentes e jovens de periferia.

Por conta do estado de pandemia, o Instituto Kobra definiu que, neste primeiro momento, todas as suas atividades devem ser estruturadas online. Quando — espera-se que em um futuro próximo — a situação atual for superada e eventos públicos puderem tornar a ocorrer com segurança, atividades presenciais devem ser divulgadas.

Para mais informações, entre em contato com nossa equipe.